Mergulhe

Olá pessoal! Sou Victor Damasceno, novo colaborador do blog Across The Dream. Fico feliz em poder escrever para vocês sobre tudo (ou quase tudo) aquilo que reflete no nosso dia a dia. Escrevo sobre situações diversas e corriqueiras e sem um gênero estritamente definido. Aceitei o convite da Thais e espero somar e enriquecer o conteúdo deste blog.

Foto por: Google 

Mergulhe


“Vou mergulhar nos seus olhos. Não seja poça d'água!” * 

Mergulhar é algo intenso. Muito complexo. Quando nós mergulhamos, por exemplo, no mar, todo o nosso corpo é encoberto, ficamos preenchidos de água dos pés a cabeça. Tudo fica submerso. É algo que parece uma entrega, uma entrega que nós fazemos à água. Entregamos a ela todo o nosso corpo, todo o nosso físico, para que ela nos refresque, nos molhe por inteiro e queremos que nada reste.

Da mesma forma acontece na nossa vida. Muitas vezes nós mergulhamos, vamos bem além, bem profundamente. Isso é natural. É uma realidade da vida. E quando encontramos alguém isto também ocorre. Conhecemos, começamos a gostar, valorizar, se entregar e acabamos por mergulhar, não é isso? Não nos apenas nos olhos como diz a frase, mas em tudo. E aí, nós esperamos que não haja ponto para parar, e, se houver, nós desejamos que seja bem fundo, bem fundo mesmo para que sejamos totalmente submersos e fiquemos lá, apenas sentindo aquilo.

E quando nós mergulhamos em algo raso? Não em um mar, uma lagoa, uma piscina, mas numa poça. Numa fina e rasa poça. Aquelas que nós vemos por aí quando chove? Aí é duro, não é? Uma completa e desnecessária desilusão. Um mergulho no nada. Não, no nada não, no chão. No plano.

Ah, tu que és poça. Não o seja. Enche-te. Ficas profundo, como um oceano. Para que se alguém vier em ti mergulhar não se arrepender, não se iludir. Enche-te para esse alguém gostar do teu oceano, gostar de submergir-se em ti. E assim, te convidar a mergulhar em seu oceano, te levar para o mais fundo e te fazer sentir o que fizesse sentir a ela.

“O essencial é invisível aos olhos”**

Quase nunca enxergamos em baixo d'água, não é? E quando não enxergamos sentimos. Sim, sentimos. E sentir às vezes é tão bom que não é necessário ver. Porque há coisas na vida que precisamos ver, entretanto também há coisas que só precisamos sentir. Um conselho? Mergulhe! Mas antes de mergulhar, encha-se!

*“Vou mergulhar nos seus olhos. Não seja poça d'água!” * (Autor desconhecido)

**“O essencial é invisível aos olhos” (O Pequeno Príncipe – Antoine de Saint-Exupéry)

Quem quiser me acompanhar em outra rede social é só clicar:
Acompanhe o blog nas redes sociais:
Facebook ❤ Instagram ❤ Twitter ❤ Flickr ❤ Skoob ❤ Goodreads ❤ Bloglovin


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são liberados depois que eu leio. ♥